terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

ATITUDE e HONRADEZ

ATITUDE E HONRADEZ INIBEM A HIPOCRISIA


Por: Elenito Elias da Costa

No mundo em que habitamos, levando em consideração o cenário econômico derivado da globalização, e ainda visualizando os profissionais que labutam em suas atividades diversas, é fácil identificar a ausência de valores individuais que acredito poucos possuem.

A busca frenética em obter vantagem ou mesmo em continuar permanecendo em funções ou cargos, mesmo que para essa conservação se faz necessário o egocentrismo, ou em obter vantagem sobre outrem, denota a existência de “alguns” profissionais.

É flagrante que aquele que busca se diferenciar deve encontrar resistência junto ao sistema, pois os demais se nivelam a aceitar situações esdrúxulas e imorais para se manter em sua posição.

As percas dos valores morais e individuais representam fatores decadentes da existência do ser humano, mas o sistema assim o deseja, mesmo sabendo que o número que o representa é descartável.

A palavra empenhada, muitas vezes se perdem em suas ações que as diferem, e isso não e percebido pelo ser, mas perceptível pelos demais que passam identificá-lo como desprezível.

A busca da vantagem imediata, em detrimento a base de valores que deveriam embasar suas ações, são depreciadas pelas ações mercantilistas que deterioram o próprio ser, somente percebendo quando são confrontadas.

Sei que não devemos julgar quem quer que seja, mas é indiscutível que as ações derivativas de sua pífia existência não sejam avaliadas e confrontadas com os crimes contra a honra (injúria, calúnia e difamação), mas reconheço que nem todos têm esse conhecimento e cultura.

A transparência e o controle interno são conseqüências da existência ou não de seus valores individuais, e isso não tem base legal, mas sim inseridos em sua formação educacional e cultural.

As empresas que apresentam situações pecaminosas e seus profissionais que se nivelaram á atitudes degradantes estão com seus dias contados, pois o sistema exige postura e atitudes adequadas e moderadas diante da globalização.

A ação de renúncia do PAPA demonstra o valor em que ele acredita e o detém não se deixando nivelar por ações que fatalmente um dia virão á tona e que fatalmente atingirá a todos os envolvidos, deixando cair por terra à máscara que usavam e que pensavam que jamais retiraria.

Mesmo sabendo que somos brasileiros, aqueles que têm uma pífia educação e que esquecem fatos graves com certa facilidade, haja vista a sua debilidade que nos tornam néscios derivativos de nossa cultura similar, um dia haveremos de acordar e cobrar o valor justo.

Devemos entender que não podemos enganar todos ao mesmo tempo, pois tempo e o néscio um dia buscará a veracidade dos fatos e o julgamento será inconteste e pragmático.

A vida tem suas fases e aquele que tentar enganá-la poderá sofrer um revés insuportável, e isso poderá impactar seus sonhos, investimentos e realizações.

Sei que muitas vezes somos tomados a agir de modalidade diferente, mas isso não quer dizer que não possa retificar, pois a verdade irá cobrá-lo, em algum tempo.

Creiam isso independe de sua religiosidade, pois sabemos que qualquer autoridade celestial abomina aquele que pratica ações que possam tirar proveito de outrem.

Aos profissionais e educandos, é aconselhável ler, estudar e procurar se capacitar e se qualificar para fazer a diferença em seu labor, pois o sistema não perdoará em caso de fragilidade.

A edificação do seu caráter começa através de suas ações, assim como sua ausência o qualifica diante de seus pares.

A existência da Lei do Retorno é realmente voraz e verossímil.

Se a hipocrisia o acompanha, saiba que um dia ela cobrará o seu preço e espero que esteja apto a saudá-la, se ainda vivo estiver.

O ativo intangível tem valor assim como o ativo biológico, o que os diferem são suas ações probas e licitas na busca de um resultado positivo, que por sua vez dependem de sua capacitação e qualificação profissional.

Os demonstrativos contábeis e financeiros seguem a mesma filosofia, devem ser transparentes e se coadunam com a gestão empresarial, quaisquer que sejam seus resultados.

Desculpem a minha perturbação psicossomática na transcrição do referido artigo, mas certas ações torpes e débeis, dantes praticadas, merecem uma reflexão mais acentuada, mesmo porque suas responsabilidades são passíveis de sanções legais.

Espero que o singelo artigo possa alcançar o que lhe resta do “ser humano” que o é, mas acreditem, ainda há tempo para sanar os erros cometidos, pois o preço cobrado será muito elevado e insuportável.

Fonte: O Autor - Disponível em Contadores.cnt.br - Artigos

Nenhum comentário:

Postar um comentário